Criar boas memórias hoje, para o negócio de amanhã

A vida é possível graças às relações interpessoais.

São elas que nos abrem portas às grandes oportunidades da vida. São elas que nos relançam, em tempos de indefinição e de procura de uma nova identidade, para caminhos que, à partida, não estavam nos nossos planos. Caminhos esses que são só nossos, e que nos ensinam mais do que aqueles que estavam previstos.

Através do caminho que percorremos nas nossas vidas, encontraremos todo o tipo de pessoas, em diferentes contextos. Esses contextos definirão aquilo que nós pensamos do outro e os seus pontos mais fortes e menos bons. Dependendo da nossa forma de ser, temos uma quantidade enorme de opções sobre que tipo de ligação queremos ter com o outro. Isso determina, consequentemente, as relações que queremos preservar.

Durante esse percurso e essa escolha em relação a quem nos acompanha, os problemas acontecerão: falhas de comunicação que tornam a mensagem incompreensível; perspectivas diferentes que entram em colisão; expectativas que ficam defraudadas. Não podemos controlar a sua existência, mas podemos controlar a forma como olhamos para elas: será que a minha perspectiva é tão válida como a do outro? Que conhecimento me está a falhar para que não consiga perceber o outro? Como devo prometer a solução para um dado problema?

É de reparar nas perguntas anteriores: elas têm em vista a inclusão de diferentes perspectivas naquela que temos num dado momento. Isto porque, na maior parte dos casos, por falta de informação ou conhecimento, poderemos estar errados sobre o nosso julgamento. Rejeitar outras opiniões, sem antes pensar nelas, fará com que continuemos com o mesmo conjunto de aprendizagens que tínhamos anteriormente, sem retirar lições sobre esta nova experiência. Por isso, mesmo fazendo o esforço para que a opinião do outro conte, faz com que exista uma conexão entre duas pessoas, formando uma memória positiva sobre aquele momento.

Essa memória positiva é aquilo que tiramos para o resto das nossas vidas. É da necessidade de repetir momentos como esse que a confiança é construída. Sendo que essa confiança é cumulativa: quanto mais confiança se acumula, mais aberto o mundo se torna perante nós; para que possamos contribuir com aquilo que temos de melhor, com melhores oportunidades.

Como criar memórias positivas?

Para que haja a possibilidade de criar essa memória positiva, tem que haver um outro. Como é que o outro pode sentir humanidade em nós? Através da curiosidade que depositamos para conhecer quem realmente é. É a partir de nós que essa ligação acontece.

Para que essa curiosidade possa ser perceptível ao outro, devemos saber o mais possível sobre o outro lado e escutar. Escutar atentamente. Sem interrupções, julgamentos, opiniões ou precipitações. No fundo, compreender a dor que o outro está a sentir.

Através dessa mesma escuta, vamos registando os problemas que existem para resolver. Cada problema que surgindo e sendo relatado, a possibilidade de encontrar uma raiz comum a eles vai aumentado. Assim, é possível ver onde podemos ajudar a resolver esses problemas, trazendo uma resolução e criando valor — através do tempo poupado e de um trabalho exemplar.

Tendo o problema estruturado e uma forma de adicionar valor a quem sofre dele, é preciso dar continuidade ao processo que levará a essa resolução. Existirão alturas bastante difíceis e uma resolução bastante bem trabalhada pode ser frustrante. No entanto, com optimismo e com dedicação para continuar a resolver faz com que tenhamos sempre o foco e a determinação para chegar mais longe!

É de perguntar, no final, o porquê de agir de forma tão pessoal para um assunto como vender um serviço ou um produto. O fim disto tudo é criar valor!

Mas o que é isso mesmo de criar valor, e apenas desta forma? Pois estamos a potenciar vidas humanas e estamos a contribuir para o seu crescimento. Enquanto isso acontece, não existe extracção de bens finitos (como em qualquer outra matéria prima), mas sim a troca bi-direccional de valores e crescimento de dois mundos pessoais: através da cooperação.

Vitor Santos

Software Engineering. Web & Mobile Development. UX & UI Planning. Startups Development.

More Posts - Website - Facebook - LinkedIn

Author: Vitor Santos

Software Engineering. Web & Mobile Development. UX & UI Planning. Startups Development.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *