Sobre modelos de negócio

e outras formas de criar valor

Toda a startup precisa de um modelo de negócio, ie, de uma forma de gerar receitas que garantam a continuidade da empresa, e já agora, que os seus fundadores possam ter um “meio de sustento” decente…

À partida, parece simples: ter um produto ou serviço que interesse a um conjunto de pessoas e/ou empresas, ser capaz de o colocar no mercado um preço que pague as contas e ainda gerar retorno. Se bem que esta verdade simples (ainda) tenha mais do que uma grão de realidade, por vezes esquecida, o advento da internet tem tornado as coisas um pouco mais “sofisticadas”. Por isso o artigo do Tim Kastelle é um bom resumo do que tem sido pensado (e resultado) nesta área:

- Value Networks from Verna Allee:

Mais informação sobre este conceito em  Value Networks and the True Nature of Collaboration.

-  Henry Chesbrough:

businessmodel

Chesbrough descreve mais em detalhe o seu conceito aqui e aqui

- Patrick Staehler:

Que pode ser consultado mais em detalhe aqui.

- Business Model Canvas, de Alexander Osterwalder


Mais informação aqui

- Seizing the White Space, do Mark Johnson

Mais informação em http://www.seizingthewhitespace.com/