>

Entrevista à equipa “Teste in Vitro”

Equipa do projecto “Teste in Vitro – para detecção do potencial alérgico cutâneo de químicos: uma imposição da nova legislação europeia” conta-nos como foi participar no Arrisca Coimbra ‘10
Como surgiu a ideia de negócio que submeteram ao concurso Arrisca Coimbra’10?

A presente ideia de negócio surgiu para responder às exigências actuais da legislação europeia. Actualmente, e de acordo com a legislação em vigor, a utilização de animais para testar os ingredientes da formulação de cosméticos será interdita a partir de 2013. Não havendo alternativas, a indústria cosmética europeia não poderá testar a segurança toxicológica de novos ingredientes, e consequentemente assegurar a segurança relativa à sensibilização cutânea do cosmético que supre. Neste projecto pretende-se desenvolver uma abordagem in vitro, com base em células da pele, que permita prever o potencial sensibilizador cutâneo de químicos antes da sua introdução no mercado e que possibilite substituir os testes em animais praticados actualmente.

O que os levou a participar no Arrisca Coimbra’10?

O objectivo foi obter financiamento para o trabalho que desenvolvemos actualmente e simultaneamente avaliar a viabilidade do mesmo como um potencial futuro negócio.

Como decorreu todo o processo?

O processo decorreu com bastante serenidade. O formulário era claro e com objectivos bem delineados. Tivemos alguma dificuldade no preenchimento de campos que não estão relacionados com a actividade científica que desenvolvemos, nomeadamente “Análise SWOT da ideia de negócio”.

Que prémios ganharam e o que vão fazer com ele?

Prémio “Igualdade” atribuído pela SEI e MCTES. Com este prémio pretendemos adquirir alguns reagentes necessários ao desenvolvimento do projecto bem como o financiamento de recursos humanos.

Quais são os próximos passos para o desenvolvimento da vossa ideia de negócio?

Optimizar o produto obtido e proceder à protecção intelectual do mesmo.

Miguel Dias Gonçalves

Gestor de Projetos na Divisão de Inovação e Transferências do Saber da Universidade de Coimbra

More Posts - Website - LinkedIn

Partilhe:

24 Março 2011 | Miguel Dias Gonçalves