Coimbra recebe prémio internacional – 200.000€ para projecto Laser Leap

 

O projecto Laser Leap desenvolvido por investigadores do Departamento de Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra é o vencedor da primeira edição do Prémio AVCRI, no valor de 200 mil euros, atribuído pela RedEmprendia – Red Universitaria Iberoamericana de Incubación de Empresas. Este projecto consiste na aplicação de técnicas laser à saúde com o intuito de administrar, de forma rápida e eficaz, fármacos através da pele sem utilização de seringas tradicionais.

 

O Prémio vai ser entregue, no próximo dia 30 de Setembro, numa cerimónia onde estarão presentes Fernando Seabra Santos, Reitor da Universidade de Coimbra, Senén Barro, presidente daRedEmprendia, José António Villasante, Director da Divisão Global Santander Universidades, bem como os investigadores premiados Luís Arnaut, Carlos Serpa e Gonçalo de Sá.

A RedEmprendia é uma associação criada com o apoio do Grupo Santander, que congrega 15 das mais prestigiadas universidades do espaço iberoamericano – sendo a Universidade de Coimbra a única universidade portuguesa – e cuja missão é impulsionar um eixo estratégico de actuação neste espaço geográfico, nomeadamente através da criação de um tecido empresarial a partir dos resultados da I&D das universidades parceiras.

O Prémio AVCRI – Agencia de Valorización y Comercialización de los Resultados de la Investigación pretende apoiar financeiramente projectos que possam conduzir resultados de investigação até à fase de prova de conceito ou a uma aplicação prática e comercializável, preenchendo assim lacunas existentes no financiamento com vista à valorização comercial de projectos de investigação de elevado potencial.

Dos projectos apresentados pelas universidades da RedEmprendia, acabou por ser escolhido o projecto seleccionado pela Universidade de Coimbra, através da sua Divisão de Inovação e Transferências do Saber. O valor do Prémio será usado para desenvolver protótipos à escala industrial do dispositivo Laser Leap, que transforma um pulso de luz numa onda de pressão de muito curta duração, provocando o alargamento da estrutura da pele, tornando-a permeável à entrada das moléculas de um fármaco. Esta técnica indolor e de baixo custo poderá ter aplicações no tratamento do cancro da pele, na administração de vacinas ou insulina ou ainda em algumas doenças dermatológicas.

 

Fonte: Universia

Author: Carlos Cerqueira - IPN

Director de Inovação do Instituto Pedro Nunes

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>