Empresa de Coimbra vence prémio europeu

feedzai

«FeedZai», empresa de Coimbra foi distinguida com o Prémio Europeu de Empresas Inteligentes, na categoria «Modelos Digitais». Esta «startup» tecnológica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) foi distinguida com o Prémio Europeu de Empresas Inteligentes, na categoria «Modelos Digitais», avançou hoje a faculdade.

De acordo com nota da instituição de ensino superior à qual a Lusa teve acesso, a competição foi promovida pela European BIC Network, uma rede internacional que reúne centros de inovação empresarial de 26 países de todo o mundo, desde a China, Rússia e México até à Inglaterra, Finlândia e Áustria, tendo os prémios sido atribuídos em Burgos (Espanha).

A FeedZai, empresa de produtos de «software», foi fundada em Dezembro de 2008 por três engenheiros formados na FCTUC, iniciou a actividade há cerca de um ano e está na incubadora de empresas do Instituto Pedro Nunes (IPN).

«O prémio foi muito gratificante. É um prémio de uma rede de incubadoras europeias [a BIC], em relação à qual o IPN ainda está em processo de adesão», disse o seu CEO, Nuno Sebastião, acrescentando que «Portugal não é visto lá fora como um país tecnológico».

O prémio é «um selo de qualidade e certificação, o que significa uma porta de acesso às mais prestigiadas e importantes instituições da Europa, como a Agência Espacial Europeia (ESA), que se mostrou interessada em desenvolver parcerias de negócio com a FeedZai».

O prémio pode também abrir a porta: «o nosso foco é mundial, o nosso produto é internacional. Logo após a cerimónia, tivemos a oferta de uma incubadora de Londres para abrir lá uma sucursal», informou Nuno Sebastião.

A FeedZai é uma empresa especialista em processamento de dados em tempo real e está a desenvolver o produto «Pulse», com aplicação em diversas áreas, nomeadamente energia, banca e telecomunicações.

O «Pulse» está a ser testado com clientes seleccionados, nacionais e estrangeiros, e prevê-se que saia para o mercado em Dezembro, adiantou o presidente.

A solução «Pulse» tem a capacidade de «analisar quantidades gigantescas de informação por segundo, conseguindo prever as necessidades de uma rede de energia de um país ou, na área das telecomunicações, prever as necessidades de uma operadora móvel», explicou ainda Paulo Marques, docente da FCTUC e CTO da empresa.

Fonte: TVI 24

Author: Carlos Cerqueira - IPN

Director de Inovação do Instituto Pedro Nunes

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *