>

O futuro, por Thomas Frey

Thomas Frey, futurólogo e director do Instituto DaVinci, afirma que vão mudar a forma de como fazemos os negócios, os efeitos da crise global, a influência perturbadora das novas tecnologias, o aparecimento de novos modelos de negócio e a procura de novas alternativas energéticas:

1) Sistemas da Crise

Muitos dos sistemas globais que temos nos dias de hoje, estão à beira do abismo, já que não foram desenhados para enfrentar a velocidade e volume da sociedade de hoje. É necessário uma mudança radical, que nos leve de sistemas nacionais a sistemas globais. Nos próximos anos haverá falhas na maioria dos sistemas, incluindo sistemas fiscais, jurídicos, segurança social, e muito mais, e à medida que vão caindo, novas oportunidades irão surgir.

2) A chegada do “Império unipessoal”

Com os mercados financeiro em perigo, a forma mais popular para o  empreendimento será o “Império unipessoal”, um negócio conduzido apenas por uma pessoa e com grande influência.

Este modelo de negócio deixa em mãos de diversas organizações de todo o mundo, todas as suas operações. Os elevados custos do emprego e o poder que depositam as novas tecnologias nas pessoas criam as condições perfeitas para que este modelo cresça

3) Colónias empresariais

Colónias de nanotecnologia, de videojogos e medicina, irão surgir como incubadoras de indústrias especificas e como componentes do desenvolvimento económico. Irão ser formadas em cidades industriais com terreno fértil para as novas empresas. Serão virtuais e físicas, de diferentes tamanhos e estruturas, e vão estar juntas à volta de recursos que podem ser repartidos, tais como recursos humanos e materiais, que têm custos demasiados elevados para que uma pessoa sozinha possa suportar.

4) Cloud Computing

A possibilidade de poder conectar-se ao seu local de trabalho esteja onde estiver evitando sistemas complexos e caros é muito interessante, ainda que falta muito caminho para percorrer, já está bastante avançado. Nestes últimos anos conseguimos grandes feitos com o aparecimento de programas como Amazon’s Web Service e Google´s App Engine, mas para que tudo isto esteja ao alcance de todos e no seu máximo potencial, ainda falta alguns anos.

5) Batalha nos sectores de energias alternativas

Ainda que o pretóleo permaneça como a principal fonte de energia, a procura por energias alternativas está no seu pleno auge. Nos próximos anos, as energias alternativas vão expandir alcançando novos terrenos de produção, transmissão e abastecimento.

Fonte:  HSM

Partilhe:

21 Abril 2010 | Carlos Cerqueira - IPN