>

No próximo dia 13 de Abril, em Valência, a Comissão Europeia e a Presidência Espanhola irão anunciar os novos membros da Rede Europeia de “Living Labs” (ENoLL), cujo âmbito de acção é juntar empresas, investigadores e entidades públicas, fomentar a cooperação e a criatividade, visando criar novos produtos e novos serviços, através de experiências em contexto real.

Num tempo em que, mais por necessidade do que por vocação, se fala de inovação, empreendedorismo, crescimento económico, produtos de valor acrescentado, esta rede criada no contorno dos objectivos da Estratégia de Lisboa, no que concerne à criação de novos empregos no território Europeu, revela-se de particular importância.

Neste campeonato Europeu, desde 2006, Portugal somente conseguiu aprovar 8 projectos desta tipologia, o que revela a exigência e a necessidade de se apresentarem projectos coerentes, com parceiros credíveis, com envolvência social e sobretudo com uma lógica que, para além da análise, a planificação, o desenvolvimento e a capacidade de implementação estejam correctamente contextualizados.

É por todas estas razões que, normalmente, os projectos “Living Lab” que são submetidos têm origem em empresas reconhecidamente inovadoras, em Universidades Europeias credenciadas ou em territórios com dimensão e massa crítica, onde a criatividade e o conhecimento estejam naturalmente presentes.

Reconhecendo essas razões, o Município de Penela ousou, a partir do seu plano estratégico de desenvolvimento, candidatar-se a esta Rede Europeia, com o projecto “Penela – Smart Rural Living Lab” e vai, no próximo dia 13 de Abril, a Valência, ser reconhecido como membro Europeu da ENoLL.

Claro que estamos felizes! Mas além da felicidade, estamos reconhecidos aos parceiros que aceitaram fazer parte deste projecto, desde a Y-Dreams à SPI, desde a Universidade de Coimbra ao Instituto Pedro Nunes, desde a ISA à Gestentrepreneur, ao CEC/CCIC e a um conjunto de pequenas empresas que têm projectos inovadores e estão a planear implementá-los em Penela.

Não há tempo, agora, de falar dos projectos inclusos neste Living Lab aprovado. Iremos fazê-lo em sessão apropriada, após o dia 13 de Abril. Pretendo simplesmente relevar a importância que isso tem para a estratégia de um pequeno território como Penela e o exemplo que isso possa constituir para outros pequenos territórios, de modo a inverter tendências e preconceitos sobre o facto de que as boas ideias e os bons projectos não podem ter origem senão nos grandes centros urbanos.

Não há nenhuma fórmula mágica para além da visão, humildade de chamar os melhores e o trabalho de colocar as pessoas, as entidades e as ideias em marcha, seguindo um rumo devidamente planeado.

Lembro-me, a propósito, daquela célebre frase proferida pelo Rei de Copas, no conto Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll: “Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e então pare”!

A lição é: não serve qualquer caminho, é necessário ser persistente e identificar perfeitamente os objectivos a atingir, mesmo, que no início, possamos parecer sonhadores!

Por Paulo Júlio

Sérgio Santos

Programador no Bloco, importa revistas no departamento.co e organiza os Coimbra Startup Meetups.

More Posts - Website - Twitter - Facebook - LinkedIn

Partilhe:

5 Abril 2010 | Sérgio Santos